Tags

, ,


Em 07/07 tudo vai ser divertido, porque eles querem que assim seja, porque aquelas coisas da paixão não precisam existir apenas no dia dos namorados e/ou datas festivas a dois. Com a pele arrepiada, ela vai aceitar seus caprichos quando nada mais parecer tão sincero. Ele a fará pensar nas coisas singelas, nos gestos precisos dos afazeres bonitos. E, na madrugada, os verbos terão algum significado especial, mas que ainda assim ficará oculto nas sombras inevitáveis. O que são um para o outro não pode ser descrito em romance, tampouco num conto ou numa crônica.

Tantos sentimentos terão despertados neste 07/07 que o tempo ficará desajeitado, impreciso e tão fluido como os desejos que vêm da boca. E a umidade dos beijos e a umidade da estação serão apenas o único elemento; confusão indistinta com sabor inconfundível. O que ela busca vai além da razão enquanto ele não se contenta com a imaginação. E se amam, e se entregam, e se deixam levar.

Sem ter por onde, todos os destinos devem entrar em choque quando o calendário apontar 07/07. E a repetição dos números validará quaisquer dúvidas que insistem em cair. O amor, que fique claro, não vai se esgotar em juras poéticas ou abraços que se querem quentes. Eles são ávidos, isto é evidente, mas também trazem consigo a responsabilidade de um afeto repleto de gentilezas. E são sutis quando dão as mãos, e ele é feliz porque é feito de carne e emoção.

Se existe um filme passando nas salas de cinema, trata-se de uma produção documental. Registro deste 07/07 pela lente dela, aprendiz de cineasta que não se importa em receber críticas de cinéfilos mal humorados. Brincar com a arte, seja esta a primeira ou a sétima, já se tornou hábito para ambos. E sorriem e despertam para os armistícios sensuais. São dois corpos unidos e sustentados sob o mesmo dilema: como um simples coração pode ser maior que todo resto? E se beijam buscando um gosto ainda desconhecido que tem de percorrer todo o espaço da língua.

Querem desacelerar as batidas do relógio para que nunca acabe este dia de hoje. Marcam na agenda os principais fatos com pequenas figurinhas, fragmentos de músicas, laços de presentes antigos, papel de bombom que, um dia, embrulhou chocolate branco – bem o tipo que ele mais gostava. E se 07/07 é ideia, conceito inadvertidamente elaborado sobre os nomes das grandes personagens históricas, pois que se acabe ao modo da Fênix, aquela mítica ave que renasce e faz saber. E os que se sabem apaixonados são, por certo, os bem aventurados.

> Crônica publicada no jornal Notícias do Dia em 07/07/2011.

Anúncios