Tags

, ,


Em 03 de Agosto de 1492, Cristóvão Colombo partiu com três caravelas (Santa Maria, Pinta e Nina) do porto de Palos, na Espanha, com a disposição de descobrir uma rota alternativa para as Índias. Como não soubesse da existência do continente americano, Colombo navegou por dois meses pelo Oceano Atlântico até que, em 12 de outubro daquele mesmo ano, um tiro de canhão da caravela Pinta anunciou sinais de terra. Que erro Colombo cometeu Colombo ao achar que encontrara as Índias, chamando os habitantes daquela terra de índios! Alguns querem crer que o navegador genovês morreu sem saber que aquelas terras não eram pertencentes às Índias. Todavia, este fato parece pouco provável, pois Colombo não deveria ser tão ingênuo assim.

Avançamos no tempo e damos com as ditas colonizações nas Américas. Portugal e Espanha exploraram tanto quanto lhes foi possível as partes centrais e latinas do chamado novo continente. Os países que compõem atualmente a América Latina foram colônias portuguesas e espanholas por muitos e muitos anos. Esta colonização era clara exploração comercial, e os países latinos (quando ainda nem mesmo eram países) tornavam-se extremamente dependentes das economia europeias. Eis que o resultado disso foi um sub-continente pouco desenvolvido e com graves problemas sociais.

Na Colômbia, os primeiros espanhóis que pisaram nestes solos foram Alonso de Ojeda e João da Costa. Antes, porém, o território era ocupado por algumas tribos que alcançaram um alto nível de desenvolvimento, tendo como grupo mais importante os “muiscas”, na alta Cordilheira Oriental. Depois de Alonso e João, numerosas expedições pelo litoral do país foram se sucedendo. Já no final do século XVIII, temos a grande tormenta para os europeus com a onda dos movimentos pela independência do país. Após uma primeira tentativa que mostrou-se inválida, Simon Bolivar, em companhia de Francisco de Paula Santander e José Antonio Anzoatequi, reuniu um novo exercito e liberaram a Venezuela do antigo reinado chamado Nova Granada (Colômbia, Venezuela, Panamá e Equador).

Com a expulsão dos espanhóis, foi celebrado em Angostura (Venezuela), em 1819, um congresso revolucionário que proclamou a Grande Colômbia. O Estado criado por Simon Bolivar dividia os países em três regiões: Cundinamarca (Colômbia e Panamá), Venezuela e Equador. Em 1829, a Venezuela deixou a Grande Colômbia e em 1831 foi a vez do Equador. Ajudado pelos Estados Unidos, o Panamá obteve sua independência em 1910 e a Colômbia ganhou seu traçado e suas fronteiras atuais.

 Cristóvão Colombo, do além, sorri com um ar preocupado.

> Crônica publicada no Jornal Notícias do Dia em 25/04/2013.

Anúncios