Tags

, , , , , , , , , , , ,


Talvez o gol contra que o lateral Marcelo marcou logo no começo do primeiro jogo da Copa do Mundo de 2014 tenha sido o presságio para os eventos que culminaram na horrorosa partida contra a Alemanha, realizada no último dia 08/07/2014.

Antes de iniciar a competição, a Seleção Brasileira era apontada como uma das favoritas ao título. E motivos não faltavam. O técnico, Luiz Felipe Scolari, era um vencedor de porte, tendo comandado a seleção que conquistou o penta-campeonato em 2002. O time reunia um seleto grupo de jogadores com renome internacional, quase todos atuando nos melhores times da Europa. E, claro, a equipe ainda contava com a genialidade do craque Neymar, capaz de definir os jogos em apenas um ou dois lances desconcertantes. Além disso, o time conquistara a confiança da torcida e as atenções das demais seleções com o bom futebol apresentado em 2013, quando conquistou a Copa das Confederações.

Mas a Copa do Mundo chegou, e tudo ficou diferente. As apresentações da seleção canarinho foram todas pouco convincentes. Foi como se todo aquele belo futebol do ano anterior tivesse sido assimilado pelos adversários, o que tornou o esquema tático muito previsível e nada eficiente. Ainda que a defesa tenha mantido um nível relativamente bom (o zagueiro David Luiz liderou o ranking da FIFA como o melhor jogador da primeira fase do mundial), o mesmo não se deu com o resto da equipe.

Neymar até apareceu em pelo menos duas partidas, mas encerrou sua participação com uma fratura nas costas que, apesar de tudo, pelo menos o livrou do vexame contra a Alemanha.

A partida da semifinal entrará para história das Copas como a pior derrota do Brasil na competição. Foram sete gols sofridos ampliados por uma equipe sem qualquer poder de reação. Mesmo o gol marcado por Oscar quase no final da partida não serviu para aplacar a vergonha que cada brasileiro sentiu quando do último apito do árbitro.

Em 1950, na primeira vez que sediou uma Copa do Mundo de futebol, a seleção perdeu de virada no último jogo para o Uruguai. E o sabor amargo da derrota permaneceu por muitos anos nas mentes dos brasileiros. O episódio, inclusive, recebeu um nome “festivo”: Maracanazo, porque o jogo ocorreu no estádio do Maracanã. Desta vez, a seleção sequer chegou à final e, de quebra, ainda foi humilhada em campo pela melhor equipe do mundial.

Desde a Copa das Confederações, a torcida costumava entoar um grito de guerra afirmando que o campeão havia voltado. Mas todos estávamos enganados. Para a Seleção Brasileira, a Copa inteira foi como aquele gol contra do Marcelo. Uma história infeliz.

> Crônica publicada no Jornal Notícias do Dia em 10/07/2014.

Anúncios